Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

República do Caústico

Sou um ignorante

14.09.10, João Maria Condeixa
Deve existir um mar de diferenças entre "sem justa causa" e "razões legalmente atendíveis" que um não jurista não consegue entender. Um mar de diferenças que sustente que não se trata de um recuo, mas de um "improvement" do projecto. Um mar de diferenças que permita a flexibilização. Deve existir tudo isto, mas eu como ignorante que sou, vos digo que não vejo nada. (...)

Política de espanador

23.07.10, João Maria Condeixa
Passos Coelho, admitiu ontem à noite, tal como o Adolfo Mesquita Nunes aqui bem enunciou, que pelo menos todo o burburinho criado servira para separar as águas. O PSD precisava de espaço e mexer na CRP, mesmo que tenha sido apenas para abrir a roda naquelas noites em que a pista parece lotada, foi a ferramenta ideal.    Pedro Passos Coelho vai ser Primeiro-Ministro e o que (...)

A CRP do PSD

21.07.10, João Maria Condeixa
      Se há lei que os portugueses mal conhecem é a Constituição. É lhes como uma tia distante de quem já ouviram histórias, mas em quem nunca puseram os olhos. Mas sabem que a Constituição - mais por propaganda enviesada que outra coisa - lhes guarda direitos e regalias (sic) que nunca poderão hipotecar. Como se essa tia, que nunca viram, fosse rica e estivesse para lhes deixar tudo em testamento.   Ora, acontece que a tia está mesmo a morrer. A diferença é que não é (...)

Uma República sem medos

21.06.10, João Maria Condeixa
Apagar a República da Constituição não é ser contra ela. É acreditar que por si viverá e será sempre escolhida, sem necessitar de paternalismos. Outra coisa não faz sentido que não deixar o povo escolher livremente o regime que pretende para o país. Esta ideia do PSD faz sentido hoje e sempre. E é um primeiro passo para uma constituição livre de (...)

Quando a CRP não serve..

17.06.10, João Maria Condeixa
Que a actual Constituição não serve os desígnios do país, isso já se sabia. Que fosse o PS a propôr que dela se fizesse gato-sapato, é que nunca se supôs. Como o Pedro Correia aqui bem relembra, num espaço de umas míseras semanas, os Socialistas, esses outrora worshipers da CRP, colocaram em causa a lei-mestra, não por motivos estruturais ou reformistas, mas para lhes resolver as pedras que vão (...)