Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

República do Caústico

A emoldurar

27.08.10, João Maria Condeixa
Começo a achar que devíamos ter todos esta foto em nossas casas. Afinal de contas está connosco há tantos anos! Quase faz parte da família..

E ei-los que até foram eleitos...

09.08.10, João Maria Condeixa
Tiago, a sugestão para procuradorável é de facto hilariante. Um meliante como PGR seria mesmo de rir, mas nem assim me convences que um Sindicato - e explica lá a quem te comenta que eu consigo dizer esta palavra sem incorrer num tripe raivosa - poderá ter mais competências que um PGR apenas porque foi democraticamente eleito por umas dúzias de senhores cultos, inteligentes e proeminentes. Por muito (...)

A verdade vem sempre ao de cima (3)

09.08.10, João Maria Condeixa
Lopes da Mota, ex-Secretário de Estado da Justiça de José Sócrates - então na presidência da Eurojust - alertou as autoridades portuguesas para a constituição de uma equipa mista, composta por portugueses e ingleses, de investigação ao caso freeport.   Cândida Almeida, que até então não queria para si o caso freeport, advoca-o de imediato para o DCIAP, impedindo a constituição da referida equipa. (...)

Berrar quando as labaredas vão altas...

05.08.10, João Maria Condeixa
É difícil deter a mão criminosa que pega fogo a uma floresta. É igualmente difícil perceber quem foi  que pegou fogo à Justiça e ao país. Mas quer um, quer outro, devem ser punidos pelo acto.   Se no cenário de fogos florestais a falta de meios é uma constante, pelo menos já perceberam que de nada vale apenas berrar quando as chamas  já estão a lavrar. Aprenderam a reclamar por antecipação.   Já na justiça, só quando tudo pegou fogo - mesmo quando se julgava não (...)

A verdade vem sempre ao de cima (2)

30.07.10, João Maria Condeixa
Demorei quase 24 horas a - resignar-me talvez não seja o melhor termo - aceitar que todos os imbróglios e suspeitas que me passaram pela frente nos últimos 6 anos seriam de descartar, pois a investigação e o Ministério Público tinham clarificado tudo e se não encontraram nenhum fundamento é porque lá não existia.   Fi-lo por crer naqueles chavões do estado de direito, dos direitos fundamentais, na presunção da inocência, na separação de poderes, e por querer (...)

Um país que vive em ruminação legislativa

16.07.10, João Maria Condeixa
Para a diarreia legislativa em Portugal só encontro paralelo naquelas velhotas bisbilhoteiras de bairro antigo.   Vestidas de igual, normalmente já viúvas, de peles caídas e cansadas, passam horas a falar da novela, dos filhos, da novela, dos netos, da novela, das mercearias, da novela, dos preços das coisas, da novela, das miúdas desavergonhadas do bairro, da novela, da nova mãe solteira da rua, da novela, da vida que a vizinha do 3º esquerdo leva e, como não podia deixar de (...)