Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

República do Caústico

Empresas municipais em dia de legislativas

05.06.11, João Maria Condeixa

Sócios, sei que estão concentradíssimos a seguir este domingo eleitoral, mas convinha que dessem uma vista de olhos num artigo do Expresso no caderno de economia sobre empresas municipais. Como não tenho a certeza que sigam todos esta minha recomendação - percebo e não vos censuro, pois era o que faltava fazerem tudo o que vos peço. Nem eu faço isso a mim próprio - deixo aqui alguns pontos importantes:

 

Existem 286 empresas municipais e das 280 analisadas - gostava de saber que 6 ficaram de fora - 117 deram prejuízo. Prejuízo esse no valor total de 70,3 milhões de euros. Se pensarmos no custo de oportunidade ao ter este tipo de empresas no Estado e não à mercê da iniciativa privada, então pior ficamos.

 

Estas empresas representam 0,29% do emprego em Portugal, ou seja, aproximadamente, 13 137 de trabalhadores. Arriscaria a dizer que destes, só cerca de meia dúzia serão apartidários ou trabalhadores não sindicados em partido do poder camarário.

 

Algumas empresas são tão boas, tão eficientes, que nem precisam de trabalhadores. Por isso esqueçam aquele argumento de que existem apenas para maquilhar as contas e dívidas municipais.

 

E como prova de que a sementeira de boys locais é tão boa no PS como no PSD, fica o registo para memória futura de que foram os sociais-democratas a criar mais empresas (139), seguidos pelo PS (89) em contraponto com o CDS (1) e que por sinal até vos posso dizer que dá lucro. Desculpem este remate partidário, mas o orgulho falou mais alto.

 

Agora vou ali votar e já venho.