Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

República do Caústico

Mesmo mesmo invulgar

27.05.11, João Maria Condeixa

Nua comigo noite fora

27.05.11, João Maria Condeixa

Ela passou por mim no corredor e sorriu. Nunca antes a havia visto, mas apreciei a simpatia. Abriu a porta, entrou e eu segui-a. Sentei-me e ela sentou-se à minha frente. Voltou a sorrir.

Já Chopin tocava baixinho em música de fundo, quando se precipitou em exercícios de alongamento. Depois concentrou-se e tornou-se séria. Eu espequei, aguardando que coelho da cartola iria tirar ela a seguir. E cartola tivesse, teria-a tirado também, pois nesse preciso segundo deixou cair o pano que lhe segurava o corpo e assim se expôs à minha frente. Nua.

 

Ficámos 3 horas noite adentro, um em frente ao outro, sem nada dizermos. Sem uma palavra trocarmos. No fim ela saiu de fininho e eu fui lavar os godés. Mais uma noite de aulas no Ar.Co.

A cronologia do PS

27.05.11, João Maria Condeixa

No início, o verbo era o "direito à indignação". Depois aprendemos que "quem se mete com o PS, leva" ao mesmo tempo que ainda se ouviam vozes socialistas a dizer com pretensa liberdade "a mim ninguém me cala!". Entretanto, e porque sabemos que gostam é de "malhar na direita" descobrimos que há "pessoas que não sabem respeitar a democracia” e que por se estarem a manifestar contra o governo são detidas sem que tivessem causado distúrbios na ordem pública. Assim evoluiu o PS.