Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

República do Caústico

Nunca é demais recordar

18.02.11, João Maria Condeixa

"Ah mas a direita também não seria capaz de evitar a escalada do desemprego!"

 

Falso. Para dar cabo das empresas e do emprego já basta a crise, não é preciso pedir ajuda ao Estado. Mas, ao optar por esta política orçamental o governo escolheu matar a economia, aniquilar o consumo e a procura interna. Preferiu esbulhar por via da receita fiscal os contribuintes apagando os erros e escamoteando a despesa pública pela qual é responsável, sem perceber que o que arrecadava para os cofres do Estado iria sair pelo lado dos apoios ao desempregados a curto e médio prazo e por outros apoios sociais.

 

Quando, já no limite, as PMEs se deparam com o crédito mais restritivo - também resultante do clima de retracção de que os bancos se previnem - com uma sobrecarga fiscal agravada e uma consequente descida na procura, nada lhes resta muita vezes senão despedir e/ou fechar portas.

 

Daí que a direita queira poupar as empresas. Pois reconhece que cada uma que "poupa" é, pelo menos, um emprego que salva, um potencial - por microscópica que  seja a empresa - motor  quer está a preservar para ajudar o país no momento da recuperação e um apoio que o Estado evita dar.

 

O desemprego seria alto, mas não chegaria aos níveis a que iremos assistir durante o próximo semestre, fosse a direita que estivesse no poder.

Pausa para publicidade

18.02.11, João Maria Condeixa

 

A convite do André Abrantes Amaral e da Antonieta Lopes da Costa - obrigado aos dois - vou estar hoje com o Francisco Proença de Carvalho a discutir alguns dos principais temas da actualidade:

Moções de Censura - um prenúncio de morte ou um balão de oxigénio para o governo?

Egipto - depois de 18 dias de intensos protestos, Mubarak caiu a 11 de Fevereiro. Será este acontecimento a queda do "muro de Berlim" dos países do Médio Oriente?

Ministro Rui Pereira - depois dos blindados e das eleições - com pedidos de demissão - assistimos a uma nova trapalhada com a vigilância da costa portuguesa, agora feita à base de binóculos. Deverá por isso ser Rui Pereira um dos remodeláveis, esse trunfo que Sócrates vai tentando adiar?

Pacto de Competitividade - Merkel propôs medidas controversas para a uniformização das políticas fiscais dos Estados-membro da UE. É a única receita possível ou uma machadada na soberania?

 

Hoje às 18.05h e domingo às 19.05h (redifusão) em 90.4fm Rádio Europa Lx.