Segunda-feira, 1 de Março de 2010
por João Maria Condeixa, em 1/3/10

As crises também se medem nos pequenos pormenores e hoje vejo, no restaurante onde almoço, diariamente, que a corrida às mesas já não é a mesma de há um ano atrás. É com relativa descontracção e calma que consigo ir até à esquina enfiar um bifinho cheio de molho de natas goela abaixo, para depois o rematar com um tradicional pastel de nata. A crise de uns, a oportunidade de outros.

 

Mas a verdade é que, em dominó, a economia vai perdendo força. Retraíram-se os almoços, retraíram-se as necessidades do restaurante, retraíram-se os seus fornecedores e no fim da cadeia alimentar (podia o termo ser mais apropriado?) retrai-se o produtor.

 

Pelo meio, milhares de desempregados que indo à procura de oferta se deparam com outra retracção, a da procura de mão-de-obra.  E tudo porque a maioria das empresas, ou desconhece o dia de amanhã para admitir mais pessoal, ou porque amanhã vão ter é de dispensar trabalhadores ou então porque já colocaram à porta um eterno "volto já".

 

E, por muito que custe dizê-lo, é este o letreiro que um dia será posto ao Estado se continuar a canalizar fundos para apoio directo ao desemprego em vez de apoiar as empresas que geram economia e criam postos de trabalho. E não, não falo de acabar com o RSI, mas sim de traçar como prioridade das prioridades, o fomento aos que sobrevivendo poderão ajudar tantos outros a sobreviver.

 

O Nanny State sozinho não resolve a crise. Pode até tentar, mas mais tarde ou mais cedo terá de pendurar à porta um "trespassa-se".


publicado por João Maria Condeixa às 21:22
link do post | Please be gentle

Real Constituição da República do Cáustico
Leia atentamente este folheto antes de tomar a constituição como sua.
Caso tenha dúvidas, consulte o seu médico, farmacêutico ou constitucionalista de família.
Em caso de emergência:
jcondeixa@hotmail.com
Posts recentes

Pulling the plug and full...

OE2012: do corte na despe...

Curto rescaldo da Madeira

Na Madeira

O fetiche do voto do betã...

A 18 cêntimos a acção (3)

A 18 cêntimos a acção (2)

A 18 cêntimos a acção

Em entrevista comparada

Alguém me explica este li...

Últimos comentários
Hmmm é pena que o blog tenha acabado :(
quanto mais a deleora só isto era um poste da edp ...
Cambada de antropomorfistas d'electrõesJá agora eu...
Durante uns bons anos - 5 pelo menos - tb fui ague...
Eutanasiar um blogue...eu sei o que custa manter u...
entrapolítico privado num tem né?Mas se todo o hom...
Oi muito thanx! amei re-ler essa publicação é engr...
é que não apanham pó....a desvantagem é que desapa...
mais comentados
Diário da República
2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


Temas

todas as tags

subscrever feeds