Quinta-feira, 18 de Fevereiro de 2010
por João Maria Condeixa, em 18/2/10

Bloco 11

 

Saí da última sala do bloco 10 tentando reconfortar a alma com imagens felizes da minha infância. Mas a cada uma que via, mais a vergonha me entristecia, pelo que resolvi arrumar o assunto com um punhado de ar fresco. Cá fora seguíamos viagem para o bloco 11. Cada um a seu ritmo lá entrámos num pátio de terra batida cercado por sólidos muros de tijolo. Ao fundo do pátio, do outro lado, a parede que amparara tantas mortes quanto balas tinham sido ali desperdiçadas: "The Death Wall". Aquele painel de madeiras e estopa criado propositadamente para receber o sangue e a pólvora,  vira muitos entregarem-se ao alívio perante esquadrões de fuzilamento. Ao seu lado, ainda erguidos na vertical, os postes que terão sustido prisioneiros que ali antecipavam a sua partida à torreira do Sol, não chegando sequer a ser alvo de balas, tal era o seu esgotamento físico.

Mas ali ao ar livre, pelo menos, respirava-se. E não contente com isso a minha guia levou-me para dentro.

No corredor de entrada do bloco 11 fiadas de fotografias de um lado e outro recebem cada um que lá chega. São ínumeros prisioneiros, incontáveis perfis, que de uniforme às riscas nos dão as boas-vindas. Como se isso fosse possível. Por baixo de cada um, a data de chegada e a data de morte. Ao contrário do que Hollywood nos habituou, ali não houve lugar para heróis, nem Homens de Aço. Média de esperança de vida: 2 meses.Um corredor enorme cheio de pessoas expostas e nem um se afasta muito desses dois meses de pesadelo. Sinal que o uniforme que vestiam era à prova de insultos, humilhações, xenofobia, racismo, torturas e outros devaneios, mas não à prova de bala, à prova de fome ou de doenças. Por ali sucumbiram milhares arrastando pesarosa e ruidosamente os ossos. Já eu, passava pelo corredor sem sequer me ouvir. E assim segui, devagar, memorizando cada um ali presente, até chegar às caves de Dante do bloco 11...

(continua)


publicado por João Maria Condeixa às 18:24
link do post | Please be gentle

2 comentários:
De JS a 18 de Fevereiro de 2010 às 19:19
falta o número... este é o 6... só para a gente não se perder na leitura. abraço


De João Maria Condeixa a 18 de Fevereiro de 2010 às 20:06
Anotado! Foi escrito a correr,pelo que algo tinha de falhar...a próxima será mais rica e detalhada.


Comentar post

Real Constituição da República do Cáustico
Leia atentamente este folheto antes de tomar a constituição como sua.
Caso tenha dúvidas, consulte o seu médico, farmacêutico ou constitucionalista de família.
Em caso de emergência:
jcondeixa@hotmail.com
Posts recentes

Pulling the plug and full...

OE2012: do corte na despe...

Curto rescaldo da Madeira

Na Madeira

O fetiche do voto do betã...

A 18 cêntimos a acção (3)

A 18 cêntimos a acção (2)

A 18 cêntimos a acção

Em entrevista comparada

Alguém me explica este li...

Últimos comentários
Hmmm é pena que o blog tenha acabado :(
quanto mais a deleora só isto era um poste da edp ...
Cambada de antropomorfistas d'electrõesJá agora eu...
Durante uns bons anos - 5 pelo menos - tb fui ague...
Eutanasiar um blogue...eu sei o que custa manter u...
entrapolítico privado num tem né?Mas se todo o hom...
Oi muito thanx! amei re-ler essa publicação é engr...
é que não apanham pó....a desvantagem é que desapa...
mais comentados
Diário da República
2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


Temas

todas as tags

subscrever feeds