Domingo, 28 de Novembro de 2010
por João Maria Condeixa, em 28/11/10

 

O fetiche é grande e praticamente universal. Não há homem que não sonhe entrar, combalido, num hospital perto de si para ser atendido, auscultado, encaminhado, apaparicado por uma enfermeira loira, esbelta, sorridente, inteligente e de seios comprimidos sob a farda que parece querer explodir a qualquer instante.

 

E se os momentos de crise não apagam estes laivos de predador sexual Neandertalensis, deviam apagar os hábitos despesistas que desde então o homem foi adoptando para seduzir, quanto mais não seja, financeiramente, o sexo oposto. - Calma, feministas deste mundo, que não estou a dizer que a culpa da crise é das mulheres ou dos homens bacocos e embevecidos por vós! -

Refiro-me, sim, à atitude esbanjadora de gastar um milhão de euros num novo fardamento no Hospital de São João, no Porto. Um milhão de euros para 4800 funcionários serem vestidos pela mão artística de Nuno Gama. Sim, porque o velhinho costureiro à esquina do Bulhão deve ter deixado o ramo e agora só estilistas afamados poderão tratar as nossas enfermeiras da inbicta.

 

Se fizermos as contas dá 200 euros por bata, o que me parece manifestamente exagerado. Ainda que cada um tenha três, isso representará 70 euros por cada uniforme, o que me continua a parecer caro demais para uma instituição que pode recorrer a uma fábrica directamente e adquirir o que pretende por, provavelmente, 10 singelos euros. Pagar 20 ou 7 vezes mais é desperdiçar preciosos recursos que poderiam ser canalizados para mais do que vestir pessoal, mas é, infelizmente, o espelho de uma mentalidade esbanjadora que irá executar um orçamento de estado que se quer profundamente rigoroso e controlado.

 

Um conselho: poupai. Até porque para a maioria dos pacientes masculinos, se para poupar, a saia tiver de ficar um pouco mais curta, não vem mal nenhum ao mundo.

 

PS - Faltou ao Público, estabelecer, numa prova séria de qualidade jornalística, um termo de comparação para percebermos o quão destorcida é a medida.


publicado por João Maria Condeixa às 22:55
link do post | Please be gentle

1 comentário:
De Andreia Rocha a 29 de Novembro de 2010 às 01:31
Puxa vida, apenas a anestesia quase generalizada dos tugas poderá explicar as barbaridades sem nenhum sentido que ocorrem num país que há muito está à deriva! De longe, bem longe, leio com temor as notícias e situações absurdas que se passam no "meu" país;concluo, com pena, que não tenho vontade de regressar para um sítio em que já não acredito; indignada estou com essa "minha gente" que parece viver "pedrada" aceitando tudo com um "encolher de ombros".


Comentar post

Real Constituição da República do Cáustico
Leia atentamente este folheto antes de tomar a constituição como sua.
Caso tenha dúvidas, consulte o seu médico, farmacêutico ou constitucionalista de família.
Em caso de emergência:
jcondeixa@hotmail.com
Posts recentes

Pulling the plug and full...

OE2012: do corte na despe...

Curto rescaldo da Madeira

Na Madeira

O fetiche do voto do betã...

A 18 cêntimos a acção (3)

A 18 cêntimos a acção (2)

A 18 cêntimos a acção

Em entrevista comparada

Alguém me explica este li...

Últimos comentários
Hmmm é pena que o blog tenha acabado :(
quanto mais a deleora só isto era um poste da edp ...
Cambada de antropomorfistas d'electrõesJá agora eu...
Durante uns bons anos - 5 pelo menos - tb fui ague...
Eutanasiar um blogue...eu sei o que custa manter u...
entrapolítico privado num tem né?Mas se todo o hom...
Oi muito thanx! amei re-ler essa publicação é engr...
é que não apanham pó....a desvantagem é que desapa...
mais comentados
Diário da República
2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


Temas

todas as tags

subscrever feeds