Terça-feira, 14 de Setembro de 2010
por João Maria Condeixa, em 14/9/10

O emprego para a vida acabou. O curso que conduz a um emprego em específico, tal como ainda o conhecemos, também definha a cada ano. E isto assusta uma geração a quem obrigaram a atravessar o deserto da empregabilidade. Uma geração que pode estar perdida caso não entenda que não pode, nem deve, seguir os passos dos seus pais, ainda que estes os recomendem. Mas pensar, num momento em que o desemprego assombra cada esquina, em aumentar o grau de instabilidade, parece ser de loucos. Mas não é.

 

Felizmente nas Universidades - não de imediato em Portugal. Fossem os nossos velhos corporativistas e nunca teríamos embarcado em tal plano - houve quem visse o que se passava à volta e numa lufada de ar fresco, tenha feito a velha máquina acompanhar os tempos.

 

Bolonha não comprimiu apenas os cursos - embora neste aspecto tenha cometido alguns erros -. Bolonha trouxe a uma geração, aquilo que o mercado pedia: uma flexibilização tal, que permita ir adquirindo ferramentas abrangentes e vastas, para poder, ao longo da vida, ir traçando opções tão distintas quanto se queira e entenda. É óbvio que a adopção deste modelo não foi perfeita e que ainda há algumas arestas por limar, mas no essencial pode responder a um mundo em que o novo estudante, futuro trabalhador, terá de se mover.

 

Ainda que a empregabilidade deva servir como parâmetro de teste ao bom nome das instituições, hoje não é preocupante que os cursos com mais desemprego preencham todas as suas vagas, pois a formação já não se esgota ali. Há que ir mais longe e ir mutando percurso fora. Da mesma forma que ter mais 40% de diplomados em 2020 não é, por si, nenhuma solução milagrosa para o país, a não ser para os efeitos estatísticos que tanto atraem a governação socialista. O mundo mudou - não em 15 dias - e agora os canudos são um passo como tantos outros na vida de cada um. Não pode ser sobrestimado, mas deve ser tomado por gosto e vocação - este sim, o único critério que levará qualquer um mais longe, caso queira e se empenhe -.

 

 


publicado por João Maria Condeixa às 11:39
link do post | Please be gentle

3 comentários:
De Cláudia Köver a 14 de Setembro de 2010 às 18:42
Estava a ler o post e a lembrar-me dos olhos rasgados da minha mãe e da sua expressão quando lhe disse, pela primeira vez, que me queria despedir. Mais tarde admitiu que achava que o meu emprego - o primeiro verdadeiro emprego - era para a vida. Nunca pensei que fosse... e hoje ela acha que se calhar não deveria ter ficado com o dela.


De jo a 16 de Setembro de 2010 às 16:59
É pena que consultando os anúncios a oferecer emprego que exigem licenciaturas, 75% deles peçam pré Bolonha ou mestrado pós Bolonha.
Bolonha adapta-se tão bem ao mercado de trabalho que os empregadores não o querem.


De João Maria Condeixa a 16 de Setembro de 2010 às 17:52
Primeiro há um regime de adaptação que o mercado de trabalho terá de enfrentar. E depois há que entender que o mestrado pós-bolonha serve, precisamente e como digo no post, para o estudante ter oportunidade de corrigir, melhorar ou mudar de rumo para penetrar melhor no mercado. Não obrigam ninguém a fazer mestrado na área da licenciatura, existindo assim a oprtunidade para ir adequando o percurso.


Comentar post

Real Constituição da República do Cáustico
Leia atentamente este folheto antes de tomar a constituição como sua.
Caso tenha dúvidas, consulte o seu médico, farmacêutico ou constitucionalista de família.
Em caso de emergência:
jcondeixa@hotmail.com
Posts recentes

Pulling the plug and full...

OE2012: do corte na despe...

Curto rescaldo da Madeira

Na Madeira

O fetiche do voto do betã...

A 18 cêntimos a acção (3)

A 18 cêntimos a acção (2)

A 18 cêntimos a acção

Em entrevista comparada

Alguém me explica este li...

Últimos comentários
Hmmm é pena que o blog tenha acabado :(
quanto mais a deleora só isto era um poste da edp ...
Cambada de antropomorfistas d'electrõesJá agora eu...
Durante uns bons anos - 5 pelo menos - tb fui ague...
Eutanasiar um blogue...eu sei o que custa manter u...
entrapolítico privado num tem né?Mas se todo o hom...
Oi muito thanx! amei re-ler essa publicação é engr...
é que não apanham pó....a desvantagem é que desapa...
mais comentados
Diário da República
2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


Temas

todas as tags

subscrever feeds